Série Boas Práticas em Segurança #1. Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa

0
41
2016-05-01 - Série Boas Práticas em Segurança - 01 - Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa - BluePex
2016-05-01 - Série Boas Práticas em Segurança - 01 - Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa - BluePex
2016-05-01 - Série Boas Práticas em Segurança - 01 - Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa - BluePex
Série Boas Práticas em Segurança – 01 – Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa – BluePex

Série Boas Práticas em Segurança #1.

Conheça a Estrutura Mínima Necessária Para Proteger Sua Empresa

A segurança das informações deve estar na pauta de qualquer empresa, seja ela uma pequena startup, um negócio médio ou uma grande corporação. No entanto, ainda é normal gestores da área de tecnologia das empresas questionarem os fornecedores se apenas o antivírus é suficiente para proteger a rede corporativa.

E a resposta é não. Infelizmente, os hackers evoluíram suas técnicas de ataque, junto a isso o surgimento de novas tecnologias em vírus e malwares tornaram o cybercrime cada vez mais sofisticado. E para garantir que não aconteçam perdas de dados vitais para o negócio, afim de evitar grandes prejuízos, as empresas precisam estar preparadas para lidar com a segurança da informação de uma forma realmente profissional.

E foi pensando nisso que nós, do Blog do TI, preparamos uma série especial que abordará as melhores práticas em segurança da informação corporativa.

E nesta matéria de estreia trataremos de um questionamento muito comum entre os pequenos e médios negócios: qual é a estrutura mínima necessária para garantir que uma rede empresarial de pequeno ou médio portes esteja segura?

Fundamental, mas não o suficiente

Existe muita discussão no mercado de tecnologia a respeito da eficiência do antivírus na proteção de uma rede corporativa. Alguns, inclusive, dizem que ele morreu, mas a verdade é que está mais vivo do que nunca. A diferença é que, se no passado ter um bom antivírus era suficiente para proteger todo o ambiente, hoje em dia são necessários outros recursos, que vão muito além da proteção do chamado usuário final.

Por outro lado, as pequenas e médias empresas contam com orçamentos enxutos para a área de tecnologia e o investimento em ferramentas de segurança é muitas vezes visto como despesa. Equalizar essa questão e montar uma arquitetura de segurança que seja realmente eficiente e com boa relação custo x benefício é fundamental, embora não seja uma tarefa simples.

Com o objetivo de auxiliar o responsável pela área de tecnologia a enfrentar este desafio, é que a  BluePex escala todos os  itens essenciais para uma infraestrutura mínima necessária voltada as empresas de pequeno e médio porte, garantindo a segurança contra vírus, malwares e as fraudes mais comuns da internet. Confira:

#1 – Controlador de domínio

Normalmente contratado em um pacote com software e serviços agregados, um bom controlador de domínio é essencial para impedir que vírus e malwares, ou mesmo pessoas mal intencionadas, tenham acesso a documentos, pastas e fontes de dados confidenciais. Ele é usado, por exemplo, para gerir senhas, controlar acessos, restringir a instalação de softwares não permitidos e até mesmo impedir a execução de determinados arquivos.

#2 – Firewall (servidor de internet/UTM)

Um Firewall UTM eficiente é fundamental para proteger a empresa contra ataques externos além de controlar o acesso dos usuários da rede à Internet impedindo que os mesmos façam download de arquivos nocivos, evitando inúmeros problemas a empresa.

Esta mesma solução torna-se essencial pelo seu poder de controle de acesso à internet e de conexões entre filiais feitas por meio de VPNs, tornando-a responsável pela utilização e gerenciamento do link de internet o que garante maior fluxo de banda para atividades que realmente importam para o seu negócio, por exemplo, sistema ERP, acesso a banco, emissão de notas fiscais e etc. Além do mais, possibilita aos gestores a obterem uma série de relatórios B.I. para uma melhoria constante da segurança.

#3 – Antispam

Os e-mails são, definitivamente, a principal porta entrada de malwares nas empresas. As ferramentas antispam promovem a varredura dos e-mails que ingressam e saem da rede, bloqueando aqueles que trazem conteúdo malicioso e evitando fraudes. Também identificam e separam os incômodos spams. Afinal, ninguém merece receber spams.

#4 – Antivirus

Com os três recursos citados anteriormente, torna-se muito mais difícil um malware ingressar na rede corporativa. Contudo, o antivirus continua tendo seu papel estratégico e essencial como a última camada de proteção e também como proteção das estações de trabalho.

Não deixe de acompanhar as próximas matérias da série, com dicas práticas para o dia a dia do gestor de TI.


Fale com a BluePex®
Texto: Marketing BluePex®