Previna-se: Ataques cibernéticos devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos

0
56
Previna-se: Ataques cibernéticos devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos - Blog do TI - Blog
Previna-se: Ataques cibernéticos devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos - Blog do TI - Blog
Previna-se: Ataques cibernéticos devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos - Blog do TI - Blog
Previna-se: Ataques cibernéticos devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos – Blog do TI – Blog

Os ataques com malwares, como os incidentes envolvendo o Ransomware WannaCry, demonstram crescimento sólido e cada vez maior, mesmo com uma pequena queda registrada no total de ocorrências relatadas ao Centro de Estudos para Resposta e Tratamento de Incidentes em Computadores (Cert.br), em 2015.

Os dados da entidade, coletados anualmente e divulgados desde 1999 demonstram um número crescente, desde a popularização da internet até agora, com uma explosão nas invasões, especialmente aqueles registrados no ano de 2014 (as informações referentes ao ano de 2016 devem sair ainda este ano).

Naquele ano, mais de 1,04 milhão de ataques foram registrados pelo Cert.br considerando, claro, apenas os incidentes reportados ao Centro, um patamar 3 vezes maior que no ano anterior, em 2013, quando pouco mais de 350 mil ocorrências foram registradas. Já no ano de 2015 o número caiu para cerca de 722 mil, o que demonstra uma queda referente ao período anterior, mas um nível ainda bastante alto, correspondente a pelo menos 2 vezes o registrado em 2013.

Uma das ações mais importantes para fugir de estatísticas negativas como essas é a estratégia, o plano e a infraestrutura adotados para a defesa de computadores e servidores, responsáveis por guardar informações valiosas que, caso corrompidas, podem custar em muitos casos, a sobrevivência do pequeno negócio.

Proteção muito complexa e cara demais? Não mais

Uma das conclusões que empreendedores chegam ao cogitar um plano para a segurança digital para o pequeno negócio, é a de que contratar serviços capazes de bloquear as invasões de malwares e outras ameaças é caro demais, o que faz o risco de ser invadido valer a pena. O único problema é que este pensamento está 100% equivocado, em especial por se tratar de um risco muito alto que pode levar em alguns casos no fechamento da empresa.

É claro que o orçamento precisa ser uma das principais preocupações da gestão, principalmente nas pequenas empresas, quando há pouco caixa e muitos gastos. Soluções com bom custo-benefício são as melhores opções para esses casos, como a BluePex, uma empresa brasileira com tecnologia global, produtos eficientes, modernos, simples, intuitivos e, principalmente, suporte em português.

O UTM, por exemplo, oferece muitos recursos para o Controle e a Segurança da informação que vão além de barreira de firewall, e tudo isso por um preço ímpar, no mercado. A ferramenta permite a gestão de rede para direcionar o tráfego ao que mais importa na empresa (como ERPs, CRMs e VoiP) e até redes VPN para comunicação segura entre colaboradores, fornecedores, clientes e parceiros, tudo embarcado em uma plataforma única.

Como já dissemos em posts anteriores aqui no Blog do TI, nos próximos anos as ações de bandidos virtuais devem angariar uma quantia de 6,5 trilhões de reais até 2019. Então se antigamente havia a possibilidade de ser vítima de um ataque cibercriminoso, hoje, com a escalada no número de ataques, essa possibilidade é real e pode acontecer a qualquer momento. Portanto faça as contas e veja que, na ponta do lápis, assim como diziam nossos pais e avós, “prevenir é sempre melhor do que conter os danos”.


Ainda com dúvidas? Fale com a BluePex®   |  Texto: Marketing BluePex®