Porque a tecnologia ajuda (e muito!), mas não pode evitar os estragos de um ataque hacker sozinha?

0
50
Porque a tecnologia ajuda (e muito!), mas não pode evitar os estragos de um ataque hacker sozinha? - Blog do TI - BluePex
Porque a tecnologia ajuda (e muito!), mas não pode evitar os estragos de um ataque hacker sozinha? - Blog do TI - BluePex
Porque a tecnologia ajuda (e muito!), mas não pode evitar os estragos de um ataque hacker sozinha? - Blog do TI - BluePex
Porque a tecnologia ajuda (e muito!), mas não pode evitar os estragos de um ataque hacker sozinha? – Blog do TI – BluePex

Repetimos exaustivamente aqui no Blog do TI que, se há cinco anos todos pensávamos em um ataque hacker como uma possibilidade, agora existe a certeza de que ele vai acontecer. A dúvida deixou de ser “se” e passou a ser “quando”.

Por isso, a resposta para a pergunta do título de hoje é curta, mas não exatamente simples. Se você também se pergunta por que a tecnologia não pode, sozinha, bloquear uma invasão cibernética, o motivo para isso é o ser humano.

A maioria das ações dos bandidos digitais obtém sucesso quando um link, e-mail ou programa malicioso é aberto, clicado ou instalado por uma pessoa. Não apenas a curiosidade, mas a distração de um usuário pode custar a integridade da rede ou das máquinas de uma empresa inteira.

Por isso, nunca é demais dizer que os hábitos dos colaboradores podem garantir a segurança e o sucesso de uma companhia, ou decretar seu fim. Dados sigilosos roubados ou informações de clientes sequestradas podem até resultar no fim de um negócio, entre inúmeros efeitos colaterais de uma invasão, caso o ser humano seja a porta de entrada de um malware.

Atualmente temos tecnologia que consegue em muitos casos impedir o erro humano em grande parte das vezes, é o caso do BluePex UTM.

Um livro aberto

Além dos problemas relacionados aos hábitos dos colaboradores em uma empresa, também conta a favor dos criminosos o comportamento social desses profissionais, que da porta pra fora são pai, mãe, irmãos, amigos, colegas, enfim, pessoas normais como todos nós.

Em uma era em que tudo é compartilhado, visualizado e curtido, fica difícil conter o número de informações potencialmente valiosas que são compartilhadas todos os dias em redes como o Facebook, Instagram, Twitter, linkedIn e outros.

Recentes estudos do mercado de tecnologia indicam que mais de 90% dos usuários de redes sociais compartilha informações pessoais e profissionais regularmente em todo o mundo, sendo que aproximadamente 35% destas pessoas já compartilharam alguma vez dados críticos como fotos de documentos de registro, carteira de habilitação, folhas do passaporte e até notas fiscais de compra e venda, demonstrativos impressos de salários e, pasmem, extratos bancários.

Com este tipo de iniciativa, realmente, não há tecnologia capaz de defender. Para a utilização das redes sociais e dos computadores no ambiente de trabalho, valem as mesmas regras que adotamos em sociedade: não compartilhe coisas demais, tente ser discreto e guarde em segredo as informações sigilosas, afinal, o anonimato desses dados é exatamente o que os mantém seguros.


Ainda com dúvidas? Fale com a BluePex®   |  Texto: Marketing BluePex®